O PTDADH já é um GRANDE SUCESSO!

O PTDADH já é um GRANDE SUCESSO!

Não, não é porque o primeiro vídeo postado no YouTube tem mais de 9700 visualizações ou mais de 400 curtidas (contra 11 descurtidas – 2% do total). E aumentando a cada dia. Logo, aproximadamente 98% das pessoas que assistiram ao vídeo e curtiram, GOSTARAM do que viram.

Não, não é porque o último vídeo postado no Instagram do COMOP (siga), com o primeiro treinamento da Major Dulce, já tem mais de15.600 visualizações e mais de 1650 curtidas .

Nem tampouco porque a última imagem o feito da Major Dulce ultrapassou 2400 curtidas. Ou porque os vídeos no YouTube.com/COMOPCBMDF da Major Dulce e da Sargento Talita Hofman já possuem mais de 1000 visualizações cada, em um curto tempo que foram postados.

O motivo de acreditarmos no sucesso é outro.
É porque temos uma grande maioria de super homens e super mulheres que entenderam a finalidade do Programa (PTDADH), estudaram os módulos e viram a importância de estar bem capacitados para a sua própria segurança, de seus companheiros de farda e da população do DF.

Como a ilustração de nosso grande companheiro de farda e artista Sargento Ruy Rios representa, os bombeiros militares não são afetados pela Kryptonita.

Ao contrário do que ocorre nos quadrinhos do universo DC, os bombeiros militares agem em situações de risco real e o nosso roteirista (ao contrário de lá que fica criando estórias em uma sala com ar condicionado ligado) é o destino traçado por Deus.

A nossa Kryptonita (o elemento que pode nos afetar) é a falta de treinamento ou capacidade física para atuar nas mais diversas ocorrências em que não temos qualquer controle. Nenhum de nós quer ver o seu “canga” (companheiro da dupla) passar mal e tornar-se uma vítima no local do incidente. Tão pouco, vendo, não quer ser incapaz de retirá-lo da cena de perigo.

Os bombeiros militares não são pessoas comuns. Eles não possuem uma profissão “comum”. Não treinar e não ter capacidade física pode não ser um problema em outras profissões, mas na de bombeiro militar é. Esta é uma profissão de alto risco.

Diversos estudos científicos apontam para as capacidades físicas mínimas para o exercício desta profissão de bombeiro. Normas internacionais especificam as capacidades físicas mínimas para o exercício profissional com menor risco de mortandade. Observe, não está escrito “sem risco de mortandade”.

A população tem ciência disso e por isso reconhece o serviço de bombeiro militar. Por isso Corpo de Bombeiros Militar goza do mais alto grau de reconhecimento perante a opinião pública.

Ocorre que ao contrário do Super Homem dos quadrinhos, que morre e ressurge após um tempo, os bombeiros militares são superes, mas não são imortais, são homens e mulheres bem treinados.

Além disso, se você chamar o Super Homem, ele não virá.
Entretanto, se chamar os bombeiros, em minutos eles estarão na sua porta.

Com esta compreensão da importância do treinamento é que os bombeiros militares se motivaram e até hoje, a plataforma de ensino (https://ptdadh.comop.com.br) conta com mais de 2690 usuários cadastrados e estudando, sendo que já ocorreram mais de 2000 aplicações de Avaliações Teóricas em um curto espaço de tempo.

MAIS DE 780 AVALIAÇÕES PRÁTICAS PROFISSIONAIS JÁ FORAM APLICADAS NO CENTRO DE TREINAMENTO OPERACIONAL (CETOP). E ESTE NÚMERO AUMENTA AINDA MAIS A CADA DIA.

ASSIM, CENTENAS DE BOMBEIROS MILITARES JÁ DEMONSTRARAM APTIDÃO PARA A PROFISSÃO E ESTÃO EM CONDIÇÕES DE SEREM SUBMETIDOS A UMA CARGA EXTRA DE TRABALHO, COMO O SERVIÇO VOLUNTÁRIO GRATIFICADO (GSV).

No CETOP, no lugar da preocupação que um Super Homem teria com a Kryptonita, os nossos homens e mulheres estão preocupados em treinar e dar o melhor de si. Eles e elas vem treinando e apresentando diversos bons exemplos de superação pessoal em um curtíssimo espaço de tempo. E nós iremos apresentar cada um deles por aqui e nas nossas redes sociais em breve.

No lugar de capa vermelhas, roupas de aproximação. No lugar de raio laser nos olhos, “sangue no olho” para fazer a prova dando o máximo de si. A guarnição da UR fica ali do lado mais torcendo do que fazendo qualquer tipo de atendimento.

A rotina de treinos, após o período de festas de fim de ano, é puxada. Mas, os bombeiros treinam visando a melhor performance possível para a Avaliação Prática Profissional. Homens e mulheres de diversas faixas etárias. Vestir esta farda, como entoamos em nossos cantos em tropa, “não é para qualquer um”, mesmo. A profissão tem seu glamour, mas traz uma série de responsabilidades. Estar pronto a cada uma delas é uma obrigação legal e moral.

A incrível mudança nas rotinas dos quartéis do Comando Operacional é perceptível. Desde o mês de janeiro de 2019 é possível notar bombeiros militares treinando para a Avaliação Prática Profissional (APP), conforme já publicamos anteriormente: LINK. Além do aumento de confiança, retomou-se o espírito de equipe e a lembrança de que todos dependem de todos em um socorro e que é importante todos serem capazes de contribuir para a solução do incidente.
Na rua, fardado, não existe diferença de especializações. Todos são bombeiros aos olhos da população, nossos patrões.

A AVALIAÇÃO PRÁTICA PROFISSIONAL
Avaliação Prática Profissional (APP) consiste em oito eventos separados. Ela é uma seqüência de eventos que requerem que o avaliado avance em um caminho predeterminado de evento para evento de forma contínua. Este teste foi desenvolvido para permitir que o Comando Operacional tenha em seu corpo capital humano com as habilidades e capacidades físicas mínimas para o desempenho de suas atribuições legais. Este é um teste de aprovação / falha baseado em um tempo total máximo de 10 minutos e 20 segundos.

Nestes eventos, o avaliado usa uma roupa de aproximação contra o fogo com o cilindro do Equipamento Autônomo de Respiração nas costas, capacete (salvamento ou combate a incêndio) e bota de incêndio ou coturno. Um peso (massa) extra é adicionado no último evento (subida de escada) com duas mangueiras nos ombros. Ao fim dele as duas mangueiras são retiradas dos ombros e o avaliado pode se desequipar.

Todos os eventos foram projetados para obter a informação necessária sobre a habilidade física do avaliado. As ferramentas e os equipamentos foram escolhidos para fornecer o mais alto nível de consistência, segurança e validade na medição das habilidades físicas do avaliado. Os eventos e distâncias entre eventos são sempre os mesmos.

Os eventos são colocados em uma sequência que melhor simula os eventos em cenários de incêndio, permitindo uma caminhada de aproximadamente 25,91 m entre eles, a exceção da subida em escada que foi adaptada como último evento e poderia ser o primeiro evento. Para garantir o mais alto nível de segurança e para evitar o esgotamento, não é permitida a corrida entre os eventos. Esta caminhada permite ao avaliado ter aproximadamente 20 segundos para se recuperar e se restabelecer antes de cada evento. Se o avaliado correr entre eventos, ele receberá um aviso (advertência). Uma segunda infração constitui uma desqualificação, o tempo de teste é concluído e o avaliado falha no teste. Em dois únicos eventos (puxar a mangueira e subida em escada) é permitido correr.

CASOS DE SUCESSO – EM BREVE

Desde o dia 29 de janeiro de 2019 foi possível acompanhar o início dos treinamentos de diversos bombeiros militares.

Contaremos muitos casos interessantes que servirão de motivação e inspiração para todos.

AGUARDE!

Siga as redes sociais do COMOP:
Instagram
Facebook
Twitter
YouTube